Escleroterapia (aplicações de vasinhos) e a necessidade de avaliação médica.

Uma dúvida frequente entre as mulheres que estão em busca de um tratamento estético para varizes é se há mesmo a necessidade de uma avaliação médica antes do tratamento. Muitas pacientes estranham por que alguns profissionais não abrem mão da consulta antes de se iniciar as aplicações. Afinal, para que perder esse tempo?

Entretanto, a avaliação inicial é obrigatória. Nela, o cirurgião vascular poderá determinar o melhor plano de tratamento para cada paciente. Como cada mulher é única, não se pode imaginar que apenas um tipo de tratamento será adequado para todas. Algumas pacientes conseguem bons resultados apenas com escleroterapia convencional, outras necessitam de crioescleroterapia e há as que precisam ser submetidas a algum tipo de cirurgia antes do tratamento com aplicações. Além disso, existem situações que contraindicam a realização de um tratamento estético de varizes, como o uso de certas medicações ou a presença de alguns problemas de saúde.

Assim, para definir o melhor tratamento para cada pessoa e também para identificar as pacientes que poderão ter um mau resultado se fizerem aplicações, é necessária a avaliação inicial pelo cirurgião vascular. Nela, o médico conversa com a paciente, procurando entender o problema circulatório que a incomoda e determinar eventuais fatores que contraindiquem a realização do tratamento. É feito, então, um exame físico especializado dos membros inferiores, procurando identificar as varizes existentes. Em alguns casos, exames complementares são solicitados, como o Doppler dos Membros Inferiores, para orientar o tratamento.

Somente depois de conhecer a paciente e seus problemas é que o cirurgião vascular está autorizado a realizar qualquer procedimento, seja uma aplicação ou uma cirurgia. Pular essa etapa e “partir direto para as aplicações” pode levar a resultados insatisfatórios e riscos desnecessários. É melhor “perder tempo” nessa etapa, do que fazer um tratamento inadequado.